quinta-feira, 27 de setembro de 2012

A Imprensa Obamista (Parte 6)

Na noite de 14 de outubro de 2008, quando faltavam poucos dias para a eleição presidencial nos EUA, o Jornal Nacional da Rede Globo de Televisão apresentou uma das matérias mais absurdas que já assisti na tevê brasileira. E ela não foi feita por qualquer jornalista global, não, mas por um dos seus mais tarimbados e afamados jornalistas, um dos mais respeitados em sua geração no Brasil: o senhor Pedro Bial, que foi correspondente internacional da Globo por muitos anos, tendo se destacado por suas matérias in loco sobre a Guerra do Golfo, a Queda do Muro de Berlim e o conflito na antiga Iugoslávia. Pois bem, Bial, que há tempos não estava mais na ativa como jornalista, pois já havia começado a se dedicar ao asqueroso reality show Big Brother Brasil, foi convocado à época para ir aos EUA para fazer matérias para o Jornal Nacional sobre as eleições norte-americanas.
(Para continuar a ler este artigo, clique AQUI)

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

A Imprensa Obamista (Parte 5): pesquisa Gallup mostra que 60% dos norte-americanos não confiam na Grande Mídia do seu país; veja algumas distorções recentes reproduzidas pela Grande Mídia daqui


Na sexta-feira, o Gallup divulgou o resultado de uma pesquisa que revela que 60% dos norte-americanos não confiam na Grande Mídia de seu país. A pesquisa mostra ainda que a maioria dos norte-americanos começou a desacreditar na Grande Mídia a partir de 2005 (55% contra 44%), mas voltou a confiar mais em 2006 (50% contra 49%), até que, de 2008 para cá, o descrédito só tem aumentado. Em 2008, 52% não confiavam. Depois, se seguiram cinco pesquisas, sendo a última em setembro deste ano, e os resultados se mostraram todos crescentes pró-desconfiança.
(Para continuar a ler este artigo, clique AQUI)

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Como eu queria demonstrar...


Ontem, Jay Carney, secretário de Imprensa da Casa Branca, o mesmo que repetiu cinco vezes na semana passada que, diferentemente do que as autoridades líbias e fontes da inteligência norte-americana estavam dizendo à imprensa (notadamente aos britânicos Independent e Daily Mail, e às norte-americanas Fox News e CNN), o ataque às embaixadas não foi um ataque terrorista planejado, mas apenas uma “reação espontânea a um filme”, agora voltou atrás e admitiu o óbvio: foi, sim, um atentado terrorista, e “talvez planejado”.
(Para continuar a ler, clique AQUI)

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Papiro da "esposa de Jesus": mais uma antiga fraude gnóstica colocada em evidência

Da Redação do CPADNews

Ontem, mais uma fraude gnóstica celebrada por teólogos liberais militantes ganhou repercussão na mídia internacional. Trata-se da divulgação de um papiro copta, datado do quarto século d.C., que poderia estar sugerindo – como outras obras gnósticas do segundo século – que Jesus foi casado.
O texto apócrifo, composto por oito linhas, está todo fragmentado, o que dificulta qualquer tentativa de interpretação, como destaca a própria porta-voz da descoberta, a historiadora e cientista da religião Karen Leigh King, da Universidade de Harvard, nos EUA. Ela, porém, que é defensora do Jesus casado do gnosticismo, enfatiza os dizeres da quarta linha, na qual se lê apenas “Jesus disse a eles: Minha mulher” a continuação da frase não pode ser lida. Na linha seguinte, já se lê: “Ela estará preparada para ser minha discípula”.
Como afirma André Chevitarese, professor do Instituto de História da Universidade Federal do Rio de Janeiro, em matéria no site da revista Veja sobre a descoberta do referido papiro, “usar esse fragmento para dizer que Jesus era casado é sensacionalismo. Seria fazer algo parecido com o que Dan Brown fez em O Código Da Vinci, onde usou trechos do Evangelho de Felipe em copta para dizer que Jesus beijou Maria Madalena. De novo, esse evangelho diz mais sobre as vivências dessa comunidade do que sobre o Jesus real”.
Karen Leigh King, 58 anos, é discípula do teólogo da libertação norte-americano Harvey Cox, propugnadora da teologia feminista nos EUA e membro do grupo Seminário de Jesus, criado em 1985 tendo como objetivo desconstruir o Jesus da Bíblia, defendendo que os Evangelhos devem ser vistos como cheios de invenções sobre a vida de Jesus; que os milagres de Jesus nunca ocorreram porque milagres não podem acontecer; que Jesus nunca ressuscitou; que foi casado com Maria Madalena, com base nos evangelhos gnósticos; que era filho de um adultério de Maria com um soldado romano; e que os evangelhos gnósticos são mais importantes do que os relatos canônicos. Ora, os evangelhos gnósticos são fraudes criadas pelos gnósticos a partir do segundo século da Era Cristã para enganar os cristãos, mas que foram denunciadas ainda em seu nascedouro por Pais da Igreja, como o bispo Irineu de Lyon (130-202dC).
Mais recentemente, em 2004, os militantes do Seminário de Jesus enfatizaram o chamado “Evangelho de Judas”, outro texto gnóstico, escrito aproximadamente em 180 d.C., e que é uma das fraudes gnósticas denunciadas nominalmente por Irineu em sua clássica obra Contra as Heresias.
“Eles produzem uma dessas histórias fictícias, a qual chamam de ‘Evangelho de Judas’”, escreveu Irineu no segundo século d.C. Lembrando ainda que Irineu aprendeu aos pés de Policarpo, que por sua vez foi discípulo direto do apóstolo João, um dos doze apóstolos de Cristo.
Os gnósticos eram uma corrente filosófica forte nos primeiros séculos da Era Cristã, mas que não tinha o apoio nem do judaísmo nem do cristianismo. Suas crenças não têm base bíblica, nem no Antigo nem no Novo Testamento. Essa seita caracterizava-se por misturar os ensinos cristãos com filosofias pagãs e tradições judaicas. Os apóstolos Paulo e João lutaram contra esse movimento. Escrevendo sobre os gnósticos, Paulo afirma: “Tende cuidado para que ninguém vos faça presa sua, por meio de filosofias e vãs sutilezas, segundo a tradição dos homens, segundo os rudimentos do mundo e não segundo Cristo” (Colossenses 2.8). O motivo de sua preocupação, afirma ele, era “para que ninguém vos engane com palavras persuasivas”.
Os gnósticos são assim chamados porque seu objetivo, segundo afirmavam, era a “gnosis”, isto é, o conhecimento. Eles criam na salvação pelo conhecimento. Os gnósticos adotavam conhecimentos místicos com forte influência da doutrina pitagórica, do platonismo, do Culto de Mitras (mitraísmo) e até mesmo de ensinamentos oriundos do Antigo Egito e da Mesopotâmia (zoroastrismo e mazdeísmo).
Os gnósticos criam que o conhecimento, que denominavam de “gnosis”, podia ser adquirido por meio de transes, quando “o espírito fica livre para circular pelas diversas esferas, assim como pelos sonhos”. Eles criam que o mundo material e o corpo humano foram criados por espíritos inferiores ou até mesmo diabólicos, por isso só a busca por uma sabedoria esotérica ajudaria alguns a libertar-se da “escravidão do corpo”. Por isso, os gnósticos criam que Jesus não era Deus feito carne, mas um espírito possuindo um corpo.
Para sustentar seus ensinos e ganhar apoio entre cristãos, os gnósticos escreveram algumas fraudes, como o Evangelho de Maria, sobre Maria Madalena; e o Evangelho de Pedro, todos rejeitados pela Igreja Primitiva. Eles tentavam vender esses livros como escritos do primeiro século, quando, como se sabe, são obras produzidas no segundo, terceiro e quarto séculos. Na época, quase ninguém caiu nessa história, tendo essas fraudes e seus criadores sido facilmente identificados ainda em seus dias, e suas criações sido solenemente desprezadas pelos cristãos daquele período. Essas fraudes sequer chegaram a ter uma pequena aceitação entre os cristãos.
Diferentemente desses evangelhos apócrifos, confeccionados pelos gnósticos no segundo, terceiro e quarto séculos, os quatro Evangelhos – Mateus, Marcos, Lucas e João – foram escritos ainda no primeiro século, sendo que dois deles foram escritos por dois dos 12 apóstolos de Cristo (caso de Mateus e João) e um outro foi redigido conforme os relatos ditados pelo apóstolo Pedro (caso do Evangelho de Marcos, o mais antigo dos quatro). Lembrando ainda que quando os Evangelhos de Mateus, Marcos e Lucas já circulavam, o apóstolo João ainda era vivo. Por essa razão, esses foram os únicos Evangelhos aceitos pela Igreja Primitiva como fidedignos. Irineu, de quem já falamos (que aprendeu de Policarpo, que por sua vez aprendeu aos pés de um dos quatro evangelistas – João), cita os quatro como os únicos verdadeiros. Ele os chama, em sua obra Contra as Heresias, de “Evangelho Tetramorphon”, ou seja, o Evangelho tetramórfico ou quádruplo.
Por sua vez, Orígenes (185-254dC), o mais destacado exegeta bíblico da Igreja Primitiva grega, afirmou que Mateus, Marcos, João e Lucas eram os únicos Evangelhos verdadeiros e escritos “pela inspiração do Espírito Santo”. Ele ainda acrescenta que estes eram os únicos Evangelhos que, em sua época (o terceiro século), eram aceitos por todos. Irineu afirmara o mesmo no segundo século.
O papiro em evidência hoje é só mais uma tentativa da velha militância do liberalismo teológico de tentar seduzir as pessoas incautas a não crerem no que a Bíblia diz. Felizmente, será em vão, mais uma vez.

segunda-feira, 17 de setembro de 2012

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Vem aí, de 10 a 13 de outubro, no Rio de Janeiro, o sétimo Congresso Nacional de Escola Dominical da CPAD, com Tommy Barnett e Johnnie Moore


Da Redação CPADNews

Dois dos mais destacados pastores dos Estados Unidos na atualidade estarão ministrando no Brasil entre os dias 10 a 13 de outubro, no Centro de Convenções Riocentro, no Rio de Janeiro (RJ), durante o 7º Congresso Nacional de Escola Dominical, promovido pela CPAD. São eles Tommy Barnett e Johnnie Moore.
O pastor Tommy Barnett, 75 anos, é líder de uma das maiores igrejas dos Estados Unidos, a Primeira Assembleia de Deus em Phoenix, Arizona, que é também a maior de sua denominação naquele país, com mais de 16 mil crentes. Antes de assumir a liderança da igreja em Phoenix, ele havia liderado a Assembleia de Deus em Davenport, no Estado de Iowa, levando aquela igreja de 76 membros para mais de 4 mil. Mas, foi somente em 1979, quando deixou a liderança daquela igreja para assumir o pastorado da então pequenina igreja em Phoenix, que Barnett experimentou a fase mais marcante de seu ministério. Ali, Deus começou a realizar um grande avivamento que ficou conhecido em todos os EUA, sendo caracterizado por muitas conversões. No auge desse avivamento, a cada culto normal de domingo
pela manhã, centenas de pessoas aceitavam Jesus como Salvador. O trabalho de evangelização era focado, sobretudo, nas pessoas mais necessitadas e desprezadas pela sociedade. Por isso, a Assembleia de Deus em Phoenix passou a ser conhecida na América como "A Igreja com Coração".
Há alguns anos, pastor Tommy e seu filho mais velho, o pastor Matthew Barnett, fundaram um trabalho social e evangelístico no centro de Los Angeles, denominado Dream Center (Centro do Sonho), que alcança hoje 40 mil pessoas por semana e já conta com outras 200 unidades espalhadas pelo país. Seu filho lidera o Angelus Temple, que é considerada a sede internacional da Igreja do Evangelho Quadrangular. Hoje, o Dream Center é considerado um dos maiores trabalhos sociais já realizados em todos os Estados Unidos.
Nos últimos 30 anos, a Escola de Líderes e Pastores do pastor Barnett já formou mais de 200 mil líderes que servem a Deus nos EUA e em outras partes do mundo. O ministério de pastor Barnett tem influenciado confessadamente nomes como a tele-evangelista Joyce Meyer, o pastor e plantador de igrejas Welllington Boone, e o pastor Charles Nieman, líder da Igreja Centro de Fé Vida Abundante, no Texas, uma das igrejas que mais crescem nos EUA hoje, com cerca de 20 mil cr
entes. Nieman conta que foi através do ministério de Barnett que Deus o chamou ao ministério pastoral. Pastor Tommy Barnett é também autor dos livros Multiplicação e Há um Milagre em Sua Casa, ambos voltados para o ministério e publicados no Brasil pela CPAD.
Johnnie Moore Jr é um jovem pastor e vice-presidente de Projetos Executivos e Relações com a Mídia, bem como pastor de campus, da Universidade Liberty, situada no Estado da Virgínia (EUA). Essa prestigiada instituição é considerada a maior universidade evangélica do mundo. Fundada em 1971 pelo célebre pastor batista conservador Jerry Falwell (1933-2007), ela conta hoje com 80 mil alunos, dos quais 12,5 mil são residentes no campus, o que faz da Universidade Liberty também a sétima maior dos Estados Unidos e a maior da Virgínia.
Pastor Johnnie tem ministrado principalmente a jovens em todo o mundo, seja em Israel ou na Índia, além de todos os Estados Unidos, e às vezes a audiências de 10 mil pessoas. Ele já visitou 20 países onde desenvolveu atividades missionárias e humanitárias. Johnnie socorreu vítimas de genocídios na Bósnia e em Ruanda, e já esteve pregando em cidades do mundo onde os cristãos foram severamente atacados pelos muçulmanos. Seu principal trabalho, porém, é voltado para jovens universitários.
Nos últimos dez anos, pastor Johnnie tem se dedicando à educação superior na Universidade Liberty e a pastorear uma igreja que é visitada por milhares de jovens universitários da Virgínia e de outras partes dos EUA e do mundo. Ele é mestre em Teologia e tem lecionado em vários países do mundo.
Pastor Johnnie já foi requisitado para participar em vários meios de comunicação, como o canal de notícias CNN e o jornal The Washington Post. Ele é casado com a brasileira Andrea. Em 2011, lançou seu primeiro livro, lançado este ano no Brasil pela CPAD: Falando [e vivendo] honestamente, que tem sido elogiado por vários líderes cristãos na América, tais como Josh McDowell, Gary Chapman, Luis Palau, Leith Anderson, Gary Smalley e Pat Williams, e por Douglas Gresham, filho adotivo de C. S. Lewis e produtor executivo da série de filmes “As Crônicas de Nárnia”.
Se você quiser conhecer toda a programação do 7º Congresso de Escola Dominical no Rio de Janeiro e participar do evento, acesse o site oficial, onde inclusive você pode fazer a sua inscrição. Para isso, clique AQUI.

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Deus e Jerusalém são vaiados por Convenção Nacional do Partido Democrata dos EUA


Deus e Jerusalém foram vaiados na Convenção Nacional do Partido Democrata, realizada de 4 a 6 de setembro, na cidade de Charlotte, na Carolina do Sul. Na segunda-feira, 3 de setembro, os líderes do Partido Democrata dos EUA haviam divulgado à imprensa o texto oficial contendo a plataforma do partido para os próximos quatro anos, e logo chamou a atenção o fato de que, em relação ao texto anterior, de 2008, todas as alusões a Deus e a Jerusalém como capital do Estado de Israel foram simplesmente arrancadas do novo texto, que também incluiu o “casamento” gay como proposta oficial do partido.
Logo que foi constatada a alteração, boa parte da imprensa norte-americana, republicanos, conservadores e judeus – inclusive muitos judeus que apoiam a agenda democrata – criticaram o texto. Então, para evitar um estrago político (já que, por exemplo, a maioria dos judeus nos EUA é pró-democrata, diferentemente dos judeus de Israel, que simpatizam mais com os republicanos nos EUA), os democratas resolveram votar ontem, em Charlotte, às pressas, uma mudança no texto da plataforma do partido para incluir uma referência a Jerusalém como a capital do Estado de Israel e a inserção da palavra “Deus”.
Para a mudança ser aprovada, seria necessária a aprovação de 2/3 do plenário. Porém, o auditório democrata se dividiu sobre a questão e os líderes do partido resolveram, mesmo sob vaias e gritos de “não” de boa parte do auditório, aprovar as alterações para incluir Jerusalém e Deus. Um canal de televisão, porém, gravou a hora da votação em que mostra que o “não” foi certamente o vencedor, mas os líderes do partido, mesmo assim, aprovaram a mudança. Para assistir ao vídeo, clique AQUI.
Outra polêmica na Convenção Nacional do Partido Democrata neste ano foi a lista de oradores. Entre eles, havia, por exemplo, a presidente da maior rede de clínicas de aborto dos EUA, responsável pelo assassinato de mais de 300 mil crianças no ventre todos os anos naquele país. Para saber mais sobre essa lista polêmica, clique AQUI.

terça-feira, 4 de setembro de 2012

Alguns nomes da lista de oradores da Convenção Nacional do Partido Democrata dizem tudo sobre o referido partido

Já saiu a lista de oradores da Convenção Nacional do Partido Democrata, que começa hoje, em Charlotte, Carolina do Norte. Nela, vemos alguns nomes cuja presença já diz tudo sobre no que esse importante partido, infelizmente, se tornou nas últimas décadas:
(PARA CONTINUAR A LER, CLIQUE AQUI)

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

O STF e o julgamento do "mensalão"

Passado um mês do julgamento da Ação Penal 470 no STF, mais conhecido como “Julgamento do Mensalão”, já dá para percebermos alguns fatores importantes...
(PARA LER ESTE ARTIGO, CLIQUE AQUI)